sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

monólogos

 de que lado me olhas?
 como se fosse sábado
 gostava que fosse domingo
 sábado é o início e o auge
 domingo é a solenidade
 e domingo é cansaço
 e o descansar
 acordar de ressaca
 domingo tem o entusiasmo da roupa nova, a festa e...
 gosto de partir ao sábado e deixar o domingo para reparar
 vês-me sábado?
 queres-te domingo?
(silêncio)
 acho que o lado esquerdo me favorece mais...

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

sonho com os dias
abertos à luz, simples,
de coisas belas como os voos,
essas aragens frescas e
rodopiantes.

à pedra, talha-a a água inquieta
nem sempre pura
afiada de macieza e convicção
de envolver envolvendo-se.

dizer é um compromisso
convicto de envolvência.

à sombra inaudível da palavra
o impronunciável responde surdo,
em gesto vago
sumido e rouco de coisa cansada.

e o dizer morre
ainda antes de nascer

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

nascerão pássaros e voarão dias
a colina recortará sol e nuvens
o mar zoará rouco
o bucólico terá a brevidade de um sopro
a inexistência será minha por um instante
eu imitá-los-ei como fiz a vida toda

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

escrevamos todas as letras de uma vez só
PLAM!!!!!
e teremos um abecedário chapado
onde quer que seja, todas as letras
um gorgolejo
a sonância duma probabilidade

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

é manhã

as ruas correm, sem esvaziar,
para as vielas, adentram portas,
um corrupio de frenesins, onde pára a quietude?

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

as flores não caem, desfolham,
transformam-se para esvoaçar, pétala a pétala,
e o fruto prospera ao redor da semente, preparando a sementeira