sexta-feira, 30 de março de 2012

teu corpo...


teu corpo é o templo
onde deposito meus beijos
numa oração embalada,
dança serpenteada
que enceno e contemplo.

teu corpo é aconchego
onde sinto consolo.
feliz,  me entrego
sussurrando encantamento
enfeitiço-me e contemplo-o.

teu corpo é ternura
onde me perco
pelo prazer de me perder
navego num mar de carinho
desse corpo que contemplo.

teu corpo
templo de oração
aconchego sussurrado
mar de ternura, agitado
a ti me dou, a ti me entrego
e te contemplo.

quinta-feira, 29 de março de 2012

inclusão

se incluímos,
então ouvimos
e deixamos participar.
aceitamos o escolher
doutras forma de ser
doutros modos de fazer.
entendemos
quem connosco quer viver.
concluímos
incluir é crescer.

quarta-feira, 28 de março de 2012

onde o rio se entrega ao mar

hoje, estive naquele lugar
onde o rio encontra o mar
porque o rio gosta do mar
não é sítio de repouso
mas, é belo e agradável
sublime para se estar.

rio dócil, vigoroso
mar inquieto, poderoso
abraçam-se...
voltam-se e revoltam-se
geram ondas, remoinhos
espumas ou carneirinhos
soltam-se amores
várias frangrâncias
vivem-se ânsias, 
encontros e recontros
tudo vale, tanto faz
não é tempo de paz.
só marinheiro sabe
o perigo de navegar
neste encontro de águas
onde ele não tem lugar.

é lindo de se ver
onde o rio
se entrega ao mar.

terça-feira, 27 de março de 2012

agora

em teu peito repouso
ao som das ondas do mar
o que se passa no meu
e como está a bater
nem me interessa saber
porque em teu peito repouso
ouvindo as ondas do mar.

segunda-feira, 19 de março de 2012

ainda... (3) desejo

desejo...
momento sem tempo
nem lugar.
presente e ausente
confundem-se
fica a míngua.
o desejo chega
e cresce, fluente.

momento

chega-me...
de teus olhos
fixos, cerrados
o que sinto
em teu corpo
entrelaçado, no meu
ventre quente, suado
comigo se funde
e nos une
gerando nós
criando nosso
tu e eu
no momento.

sexta-feira, 16 de março de 2012

ainda... ainda... desejo

desejo...
sinto-o na tua ausência.
quando chego
desejo a outra parte de ti
depois...
sinto o momento
e desejo ficar ali
ternamente...
eternamente.

ainda... desejo

desejo...
é uma vontade no futuro
tão ardente, tão ardente
que nos parece
e nos padece
presente.

quarta-feira, 14 de março de 2012

desejo

desejo escrever
o que não sei dizer
mensagem que desconheço
conteúdo indefinido
que desejo escrever
sem saber porquê
sem razão para explicar
esta necessidade de escrever.

terça-feira, 13 de março de 2012

pensamento

um escrito vive se é lido.
o autor renasce quando o escreve.
o leitor fantasia-se em cada leitura.
um escrito não lido é texto desamado.
escritor, texto e leitor... um triângulo amoroso.

bla bla bla

bla bla bla...
fala a inteligente
fala alto
distribui o tempo
diligente
gesticula
concorda
sintetiza
mostra nexo
bla bla bla

bla bla bla...
dizem os espertos
falam de baixo
esganiçam a voz
interrompem-se
conquistando tempo
concordam
acordam
mostram tino
bla bla bla

bla bla bla...
fico surdo
ouvido duro
não tenho paciência
nem domino
esta ciência
e abomino
verborreia
bla bla bla... 

diálogos em reunião

só queria… reiterar
uma ideia…
minha!
falo por mim
é assim que lá vamos
falo para mim
faço minhas palavras
as do orador anterior
concordo.
empurrar com a barriga
estudaremos para o ano
ficaremos com as ideias
serão muitas
cairão no cano.

lisboa namoradeira

lisboa passeia-se à noite.
exibe ao rio
curvas e colinas
meneando,  brilhando
varinando aos sentidos,
acolhendo os namorados
dados pelos olhos
pelas mãos
e pelo coração.

penteado

hoje não te despenteei.
arranjaste teu cabelo
corte e penteado
ficaste linda…
perfumada…
adormeci, sem dizer nada.

acordaste.
sorridente
preguiçosa
arrastada
lembraste ao primeiro beijo
que não te fiz despenteada.

sexta-feira, 9 de março de 2012

quinta-feira, 8 de março de 2012

destino de janela

gradualmente, o sol entra pela janela. persistentemente, a janela mantém-se aberta aguardando a visita do sol. sente que foi criada para este momento, vendo-se como jovem donzela apaixonada cujo destino se talhou para aguardar pelo amado, somente pelo prazer de sentir o palpitar do coração que lhe explode no peito ao pressentir a presença do amor. pobre janela, dirão uns, feliz janela pensarão outros.

compreende-se a vontade férrea desta janela em manter-se aberta, aguardando pacientemente pela visita do sol. é uma vontade animada pelo desejo, pelo amor e pela intrínseca cumplicidade com seu destino que sente talhado por uma sapiência de outra dimensão. pobre janela, dirão uns, feliz janela pensarão outros.

há, porém, desígnios que esta janela não entende e que estão muito para além do seu sentir diário e do seu estado de enamoramento. obviamente esta janela ainda não entendeu que a razão da sua existência tem a ver com a entrada de luz que permite e com a paisagem que é possível ver através dela, tudo isto deixando a qualidade da janela, enquanto elemento desta composição, para segundo plano. neste quadro, a qualidade da janela é proteger mantendo-se invisível ou pelo menos o mais imperceptível possível. pobre janela, dirão uns, feliz janela pensarão outros.

um dia esta janela entenderá que a sua existência se planeou para ir bem mais além do seu enamoramento com o sol e que foi concebida para ser bonita, o que significa ter uma estrutura muito discreta, permitir a entrado do sol e a leitura da paisagem, tudo isto protegendo da chuva e do excesso de frio e de calor. um dia esta janela encontrará uma forma de conjugar estes dois destinos. um dia esta janela também se sentirá feliz pelo que pode oferecer. pobre janela, dirão uns, feliz janela pensarão outros.

espera-se que de quando em vez alguém cuide da janela e a mantenha límpida, oleada e brilhante. sentir-se-á, a janela, bela e atraente para o seu amado, esteja ele do lado de dentro ou do lado de fora da sala. será, então, uma janela que sonhará, independentemente do seu destino.  pobre janela, dirão uns, feliz janela pensarão outros.

saudade

a saudade que sinto
quando me falta aquele beijo
quando não tenho seu olhar
quando seu calor
vai com ele p'ra outro lado
tem ciúme, não minto
esta saudade que sinto
pelo estar do meu amado.

terça-feira, 6 de março de 2012

ainda... carinho

carinhos meus
carinhos teus
feitos para trocar
carinho tem corpo
e alinda o amar.

carinhos

carinhos...
são toques
são de amor
podem vir num olhar
nos sorrisos
ou nas palavras.
ao tato..., são melodiosos
ao ouvido..., são doces
ao olhar..., são confortáveis
confundem-nos os sentidos
são gostosos
sabem muito bem.

ainda... ainda... beijos

beijos...
desprende-se o primeiro
soltam-se os restantes
espalha-se o desejo
de não terminar
quantos mais damos
mais temos para dar. 

ainda... beijos

beijos...
são pérolas.
as de um colar
soltam-se,
saltam,
rolam
e nunca mais param.

segunda-feira, 5 de março de 2012

beijos


beijos são segredos
que pomos na pele.
os beijos são quentes
pois são presentes
que vêm do coração.
beijos miudinhos
falam de carinhos
pousam no corpo
e trazem conforto.
os beijos de amor
têm mais calor
dão-se com vigor
e trazem paixão.
os beijos apaixonados
são os mais molhados
arrastam-se na pele
onde procuram
sítios ousados.

ainda, abraços

abraços...
são laços
com que nos atamos
pelos braços
unidos
pelo coração.

abraços


abraços...
são entregas
recebem-se, dão-se.
dádivas de nós
intimidades
sentimentos
que atamos em laços
e oferecemos
na forma de abraços.

sábado, 3 de março de 2012

mares e marés

mar revolto
mar ondulado
mar crispado
maré viva
maré cheia
mar encapelado
mar de espuma
mar fundo
mar gelado
mar frio
mar morto
mar vermelho
mar salgado
mar calmo
mar plano
mar vivo
mar de vida
mar quente
mar fértil
mar cheio
mar vazo
mar de maré
maré vaza
maré boa
mar raso
mar santo
mar sagrado
mar mundano
mar confidente
um mar
para cada momento da vida



sexta-feira, 2 de março de 2012

ainda... desejo de mulher

olha meus olhos
procura-me o corpo
toca meus lábios
exprime-me o desejo louco
que semeio em ti
que anseio em ti
faz-me tua, serás meu
sente-me louca
insolente
apaixonada
gritando aos ventos
este amor que me devora
aqui e agora
ontem e hoje,
amanhã e sempre.
toma-me, contraria-me
procura-me sem sentido
perdido
quero tua paixão
desejo meu corpo na tua mão
onde quero estar
de alma e coração.
procura-me com o olhar
procura-me nos pensamentos
procura-me nos sonhos
procura-me nos desejos
procura-me todos os momentos
sagrados ou profanos
procura-me, deseja-me, encontra-me
que eu estarei lá
para ti.

desejo de mulher

olha meus olhos
esperando os teus
lendo-te
decifrando-te
adivinhando-te.

olha meu corpo
insinuando-se ao teu
movimentos lentos
sinais de abertura
desejo e ternura.

olha meus lábios
procurando os teus
articulando paixão
numa oração
a teu coração.

mensagem

trago a humidade do teu beijo,
o toque da tua pele
o brilho do teu olhar
onde guardo o desejo sentido
a memória do que sentirei.
depois, perco-me...sorrindo...

quinta-feira, 1 de março de 2012

março

chega e com ele espera-se a chuva que nos salpica o rosto e nos torna crianças irrequietas, encharcadas e enlameadas mas felizes, de cara e alma lavadas.